IRDI – Indicadores de Risco para Desenvolvimento Infantil de 0 a 18 meses

27/01/17
access_time N / D
location_on Santo André-SP

Descrição do Evento

O IRDI é um protocolo com estudos de validade na identificação de fatores de risco de desenvolvimento, composto de 31 indicadores voltados à relação cuidador-criança durante os primeiros 18 meses de vida desta. A perspectiva adotada é a de que expressões iniciais dos problemas de desenvolvimento podem ser situadas nos desencontros das trocas, demandas e linguagem estabelecidas entre o cuidador (pai, mãe, tios, avós, vizinhos, etc) e o bebê.
A criação e validação do IRDI ocorreram no contexto da Pesquisa Multicêntrica de Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil realizada entre 2000 e 2008 em nove cidades brasileiras, a pedido do Ministério da Saúde e com apoio do CNPQ e FAPESP. A pesquisa foi realizada por um grupo de psicanalistas nomeado Grupo Nacional de Pesquisadores (GNP). O GNP trata-se de um grupo de psicanalistas, especialistas nos cuidados da criança, reunido para construir o protocolo de indicadores pela Profa. Dra. Maria Cristina Machado Kupfer (IPUSP), coordenadora científica nacional da pesquisa. A leitura da constituição do sujeito, trabalhada no campo clínico por estes psicanalistas de diversas abordagens teóricas (kleinianos, winnicottianos, lacanianos) deu origem a quatro eixos orientadores do IRDI: estabelecimento da demanda, suposição do sujeito, alternância presença-ausência e função paterna. Diferencia-se da maioria das avaliações do desenvolvimento que usualmente priorizam marcadores motores e neurológicos. Esses eixos articulam-se entre si e dão a fundamentação teórica dos 31 indicadores. Desta forma, cada item está atrelado a um ou mais eixos.
O instrumento mostrou-se válido para prever problemas de desenvolvimento que afetavam suas funções instrumentais (psicomotricidade, domínio da linguagem, aprendizagem, hábitos, socialização, enurese, hiperatividade, inibição escolar, por exemplo) que as crianças participantes da pesquisa apresentaram aos 3 anos de idade, bem como para detectar sinais de risco psíquico ((risco para constituição do sujeito, sinalizando problemas de ordem estrutural relativos as psicopatologias graves da infância, como a depressão e o autismo por exemplo). Possibilita a identificação de entraves no desenvolvimento do bebê de 0 a 18 meses de idade.
Os indicadores são divididos em quatro faixas etárias: 0 a 4 meses incompletos; 4 a 8 meses incompletos; 8 a 12 meses incompletos e 12 a 18 meses completos. Os itens são sinais de saúde psíquica, pois abordam aspectos da relação cuidador-bebê os quais são indicativos de que a construção da subjetividade da criança está em curso. A ausência de 2 ou mais indicadores sinaliza possíveis riscos ou tendência de problemas de desenvolvimento com expressão no aspecto relacional, abrindo possibilidade para intervenções a tempo.
Para a psicanálise, a possiblidade de intervenção precoce fundamenta-se na minimização dos efeitos de um quadro patológico, mas também na ideia de que na infância, o sujeito ainda está em vias de constituir-se, o que implica a possiblidade de atenuação ou remissão de condições psicopatológicas e imprime contornos específicos à noção de desenvolvimento.
A utilização do instrumento prevê a apropriação dos conceitos pelo avaliador.

Informações

  • Data: de 27 a 28 de janeiro de 2017
    Este evento já aconteceu. Que pena!
    Você pode descobrir mais informações sobre as próximas edições enviando uma mensagem para o organizador.
  • Local: Santo André, SP
  • Endereço: rua vitoria regia 1095,
  • Responsável: Dra. Ana Paula Magosso Cavaggioni
  • Telefone: 1144241284
  • Site: Clique aqui para acessar
  • Outros contatos:
    1123115968
  • Inscrições até: 26/01/2017

Receba novidades e promoções ;)

AjudaNão encontrou o que procurava?